Indústria 4.0 – Onde começou e para onde vamos?

por: Igor Santiago, CEO da I.Systems

O termo “Indústria 4.0” teve origem na iniciativa do governo alemão de garantir a competitividade da indústria nacional frente à concorrência externa. Hoje, o termo sintetiza a grande mudança tecnológica resultante da conexão entre tecnologias digitais e o mundo físico. Entre essas tecnologias, podemos destacar os mais variados meios, desde robôs autônomos e realidade aumentada, até big data e internet industrial. Cada uma dessas tecnologias têm um potencial importante de impacto em suas respectivas áreas.

Em pesquisa realizada pela PwC, os dados revelam que o setor produtivo planeja investir mais de US$900B até 2021 na atualização de processos para a indústria 4.0. O foco desses investimentos será na digitalização industrial, isto é, o uso de dispositivos para permitir e/ou ampliar a conectividade entre chão de fábrica e o ambiente corporativo, utilização de softwares de análises para gerar informações a partir destes dados e equipamentos, como robôs autônomos, impressoras 3D e realidade aumentada, para apoiar e padronizar a operação.

A indústria 4.0 deixou de ser tendência futura para se tornar a realidade dos processos e investimentos atuais — Dr. Reinhard Geissbauer, Head de Indústria 4.0 da PwC

No Brasil, essa realidade parece distante, segundo estudo da Confederação Nacional da Indústria — CNI: mais da metade das indústrias brasileiras (52%) não utiliza nenhuma tecnologia digital de uma lista que contempla itens da 3ª Revolução Industrial. Além disso, dados da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) mostram que 32% das empresas brasileiras não sabe o significado do termo Indústria 4.0.

Entretanto, os possíveis resultados da implantação dessas medidas no país são animadores. O governo brasileiro tem se movimentado para facilitar a adoção dessas tecnologias e a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) lançou a Política Nacional da Indústria 4.0 com as diretrizes para a transformação digital da indústria nacional, além de estimar a redução de gastos por ano em R$ 74B, dos quais 46% são provenientes do aumento de eficiência. Por fim, assim como definido na Política Nacional da Indústria 4.0, o primeiro passo da “Jornada da Indústria para o 4.0” é a difusão de conteúdos, buscando avaliar como estamos hoje e para onde podemos ir; por isso, eu convido você a acompanhar a I.Systems em nossas redes sociais para receber mais conteúdos e avançarmos juntos nessa jornada.

Bitnami