Indústria 4.0: roadmap da inovação

Na matemática da inovação, um mais um tende sempre a dar um resultado maior do que dois. Quando pensamos na aplicação e integração de tecnologias na cadeia produtiva, ao menos, esse deve ser um resultado a ser buscado. 

Conseguir executar um projeto inovador com sucesso abre parâmetros para replicar aprendizados obtidos nas primeiras experiências. Essa rotina de assimilar os conhecimentos adquiridos na prática, em diferentes processos e ambiente controlado, gera um ciclo virtuoso, podendo trazer benefícios em escala, multiplicando resultados e otimizando a eficiência da planta como um todo. 

Nessa linha, vale citar que, segundo pesquisa recente realizada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), 54% das indústrias que integram até três tecnologias digitais não apenas se mantiveram competitivas como ainda aumentaram seu lucro em 2020. A lucratividade é ainda maior para as indústrias que adotaram acima de quatro tecnologias. 

Fazer essas integrações e aplicar inovações de forma eficiente e dentro de uma visão evolutiva rende ainda mais resultados. Tanto é assim que muitas indústrias têm buscado maneiras para começar, validar ou expandir projetos de transformação digital  em busca de seus objetivos de negócio.  

O que deve ser levado em conta no processo de transformação digital

Quando falamos em processos de digitalização nos moldes da Indústria 4.0, é necessário levar em conta o grau de maturidade de cada indústria. Este é o ponto de partida para a implantação de operações inteligentes que sejam customizáveis, flexíveis, modulares e descentralizadas. 

Observando o mercado, e levando em conta análises e percepções obtidas de interações com consultorias, clientes e representantes da indústria, é possível identificar e agrupar empresas em níveis distintos quanto ao seu estágio de maturidade para aplicação de tecnologias digitais na indústria: 

Inicial – a indústria busca mapear benefícios e identificar desafios. Quer verificar se a sua infraestrutura está adequada e apta para fazer um projeto. É o momento de buscar casos de aplicação, encontrar parceiros e realizar um business case.

Intermediária – nesta fase, a indústria já realizou os primeiros experimentos e validou resultados, identificando que aquele investimento traz retorno e faz sentido dar os próximos passos de maneira mais consistente. Nesse momento, passa a planejar o seu roadmap de evolução, mapear KPIs e enxergar como integrar pessoas, processos e tecnologias. 

Maturidade avançada – é quando a cultura da indústria 4.0 está mais clara não só no aspecto da operação, mas na própria estratégia corporativa. A partir daí, o jogo muda de figura e o objetivo passa a ser a busca por ganhos em escala. O impacto dos benefícios nos resultados do negócio começa a tomar forma e o avanço no tema passa a ser mais sistematizado.

Você, certamente, já parou para analisar qual é o estágio de maturidade da sua empresa com relação a Indústria 4.0, identificando oportunidades e fazendo comparativos com alguns de seus concorrentes ou referências de mercado. E, com certeza, fez os cálculos de ganho mínimo se inserido nessa jornada. Mas quando, de fato, uma empresa parte para colocar em prática seu roadmap de evolução?

Aqui na I.Systems participamos de muitos projetos de Indústria 4.0, tanto em empresas que querem entender como começar a jornada, quanto aquelas que já identificaram oportunidades e querem acelerar suas iniciativas. Independente do estágio de maturidade, identificamos alguns pontos comuns nas empresas, como a necessidade de criar um laço forte de parceria e ter bem mapeado o business case, com o objetivo e retorno almejado pela iniciativa.  

Como especialistas na aplicação de Inteligência Artificial em projetos que buscam garantir mais eficiência a processos de transformação de empresas da Indústria 4.0, desenvolvemos um roadmap para inovação. O quadro abaixo contém as principais etapas que usamos para projetos envolvendo a aplicação do Leaf, nossa solução de IA para controle avançado de equipamentos industriais: 

LEAF é o software de inteligência artificial que reduz a variabilidade e aumenta a eficiência de processos industriais.
*LEAF é o software de inteligência artificial que reduz a variabilidade e aumenta a eficiência de processos industriais.

Tudo o que foi falado anteriormente deve ser analisado antes da implantação das tecnologias propostas no contexto da indústria digital. As diretrizes são premissas para se construir uma arquitetura de inovação e definir as rotas de acordo com cada processo. 

Outro fator essencial é saber que, tão importante quanto adotar soluções de controle avançado nos processos industriais, é permitir que elas se comuniquem entre si. 

Toda essa interconexão deve considerar as particularidades de cada setor presente no processo produtivo, gerando dados que valorizem a informação e permitam a tomada assertiva de decisões. 

Resultados mensuráveis e geração de valor

Em um cenário onde cada vez mais indústrias buscam acessar os benefícios da Indústria 4.0, é comum observar uma verdadeira profusão de novidades e propostas de TI. No entanto, são poucos os fornecedores que possuem uma camada de consultoria capaz de acompanhar toda a evolução do projeto, desde o primeiro business case até futuros desdobramentos.  

Para fazer esta travessia inovadora, é essencial poder contar com um suporte especializado em todas as etapas de desenvolvimento. 

Uma empresa parceira que possa assegurar o retorno do investimento, apresentar referências de projetos executados com sucesso e que, a partir do estudo do ambiente fabril, realize as implantações e treinamentos da forma mais adequada. Sempre no sentido de gerar valor, aumentar a produtividade, reduzir a variabilidade e diminuir custos no processo de produção. Estes atributos estão no seu radar? Conheça a I.Systems e conte com o melhor parceiro em IA para a indústria.

Bitnami